Trichophyton

Trichophyton

PDF Imprimir E-mail

 

Microorganismo: dermatofitoses são causadas por três gêneros de fungos patogênicos: Microsporum Epidermophytom e Trychophytom.


Micologia: fungos filamentosos. O crescimento ocorre entre 35-37° C.
Reservatório: encontram-se universalmente no ambiente, principalmente no solo e fazem parte da flora da pele de animais domésticos. Sendo classificados em geofíticos, zoofíticos e antropofíticos.
Modo de transmissão: contato direto com reservatórios e com a pele descamada.
Período de incubação: não determinado.
Doença(s) que causa: tinea corporis, tinea pedis, tinea barbis, tinea capitis, tinea cruris, onicomicose.
Introdução: as dermatofitoses são micoses causadas por fungos queratinofílicos que acometem a pele, unhas e pêlos.
Epidemiologia: causa freqüente de infecção da pele superficial, são as micoses mais comuns em humanos, principalmente em regiões com clima tropical.
Quadro clínico: infecções superficiais que acometem áreas diversas da pele, sendo denominadas de acordo com a topografia. Apresentam-se como máculas arredondadas circinadas, de diferentes diâmetros com evolução centrípeta. São hiperemiadas, pruriginosas, com bordos elevados e descamativos e podem estar associadas a pústulas, foliculite e adenomegalia regional.
Complicações: infecções bacterianas secundárias pois promovem porta de entrada, alopecia permanente secundária a tinea capitis.
Diagnóstico: clínico e microscopia com KOH. Alguns dermatófitos são fluorescentes.
Tratamento: antifúngicos tópicos como cetoconazol ou terbinafina por 4 semanas. Fluconazol (VO) 100mg ao dia ou, Itraconazol (VO) 200mg ao dia por 5 dias. Para onicomicose, pode ser usado Fluconazol (VO) 150 a 300mg por semana por no mínimo 3 meses ou Itraconazol (VO) 200mg 12/12h por uma semana por mês por 4 meses ou Terbinafina 250mg ao dia por 12 semanas. O tratamento tópico na onicomicose pode ser realizado com ciclopiroxolamina 8% ao dia por 1 ano.

 


Vigilância epidemiológica: Não é doença de notificação compulsória.
Medidas de controle: Não se faz necessário o isolamento do paciente.
Bibliografia: The superficial mycoses and dermatophytes. J Am Acad Dermatol 1989, 21(4):655-73. Fungal Nail Disease. NEJM 2009, 360(20): 2108-16.
Autor Responsável: Paula V. M. Toledo

 

 


Visualizações de Conteúdo : 1099006